segunda-feira, janeiro 15, 2007

Alguém que sangre por você




*Curtindo de leve as férias! Tinha até me esquecido disso aqui. Acabei tirando férias dos meus textos também. Colocarei uma poesia marginal minha apenas pra não deixar esse blog entregue às aranhas, ácaros e baratas...
Depois espero voltar com mais crônicas.

_____________________________________________________________________

No fantástico show de horrores de cada tempo há de surgir
Alguém para sangrar e te mostrar
Que os espinhos no caule são flores em campos minados
E todo comprometimento do eu, é só uma tarefa à cumprir
Ninguém quer pisar na lama com seus sapatos importados

Exercitam o dedo e a lábia, só falácia... só falácia...
Seus colarinhos são muito brancos para sujar de sangue
E ele não tem nada à perder - juventude e punhos tão dispostos
Teorias, ideais ou utopias - todos tem!

E podem até discernir sobre tudo isso
Sentados em poltronas entre um placebo e um soma
Enquanto no campo de batalha só Quixote sangra
E então sangrou tanto que morreu

Morreu por ti, morreu pelas novas gerações
E as novas gerações chegaram, sem saber que ele existiu
Um novo Mártir há de surgir, pra sangrar por todos vocês
Por todos nós...

Sempre o mesmo ciclo, e ainda assim... não aprendemos!

*2 Imagem = Carlo Giuliani - Manifestante anarquista e poeta Italiano, assassinado aos 23 anos de idade pelas forças repressoras em Gênova, Itália, numa manifestação contra o G8.

Um comentário:

telmo disse...

Enquanto permanecer o capitalismo, viveremos nesse inferno.