segunda-feira, setembro 17, 2007

A esperança pegou um trem sem volta


A esperança se perdeu no caminho de volta para casa. Pegou o trem errado – perdeu-se no espaço sem tempo para a razão. O sonho morreu nas bocas desdentadas de um povo doente – vivendo de falsas alegorias coletivas. Carnavais infindáveis de desgraças e fugas da realidade. A ponta do iceberg pesa os ombros da sociedade. Seu fedor mostra a carniça devorada por abutres do poder – hedonismos praticados por estupradores e usurpadores da vida e da liberdade. Algozes em pele de deuses – desalmados não detentores de amor, só o lixo sub-cutâneo/ódio e rancor. A cegueira realmente contagia – Saramago profetizou ou já sabia. Essa é a vida, irreal, deturpada, oprimida, não vivida, apatia.

3 comentários:

garrafa e mar disse...

minha nossa ...

TERE disse...

texto profundo e interessante que daria uma boa tese...Gostei. Tomei conhecimento dele via Blogue de um amigo "Storm..."

Bjs

Tere

JOE ANT disse...

Amigo Barradas,

Resolvi inserir este post no meu blogue
para que os meus amigos portugueses
pudessem apreciar e seguir os seus
escritos.